Olá amigos!

Sou Lucimar Oliveira, apaixonada por negócios, pessoas e resultados. Acredito muito que empresas só conseguem prosperar de maneira sustentável e saudável se tiverem um time verdadeiramente engajado, de alta performance e produtivo.

Mas para que isto aconteça é de responsabilidade do empresário, alta gerência e líderes, exercerem uma liderança que funciona, pois senão, estão fadados a reclamarem exaustivamente de suas equipes e dos seus resultados.

Meu propósito é ajudar empresas se tornarem o melhor lugar para se trabalhar, e pessoas as melhores para se contratar, e juntos conquistar resultados extremos e significativos para o negócio e para vida dos envolvidos.

Minha história

Imagino que não foi fácil para você chegar onde chegou, não é mesmo!? Seja como empresa ou como profissional. Imagino que tenha trabalhado arduamente, engolido alguns sapos e ouvido vários nãos. Imagino que passou por alguns sacrifícios, até que enfim você conseguiu o tão sonhado posicionamento e reconhecimento. Ou talvez não...

Pois é, assim começo a contar um pouco da minha história... Aos 30 anos de idade eu estava completando 8 anos trabalhando em uma grande empresa, estava sendo promovida mais uma vez, e recebi um troféu de destaque. Eu estava radiante de felicidade! Foram anos intensos, muito crescimento, mudanças constantes, superação atrás de superação, erros, acertos, desafios, muitas conquistas e algumas derrotas.

Logo no primeiro ano de empresa eu saí de um setor “glamuroso”, para um setor literalmente caindo aos pedaços. Assumimos uma nova área que ninguém tinha conhecimento, não havia equipe, e tudo teria que acontecer de um dia para outro, fui convidada a ajudar: equipe nova sem conhecimento algum, estrutura física inóspita, eu a única mulher com um monte de homens, informações foram excluídas pela antiga gestão, mas ainda restavam alguns clientes e precisavam ser atendidos. O aprendizado foi na raça, sem treinamentos, a reestruturação foi completa, os desafios eram diversos: pessoas, processos e resultado, e para isso, tínhamos que quebrar o paradigma sobre o serviço que vendíamos.

Desafios

Estamos falando de uma época que não tínhamos whats app, que as notas fiscais tinham 5 vias, em que mal tínhamos GPS, usávamos o mapa de papel. Vou dizer que ainda vibro internamente ao lembrar de nossas conquistas, briguei muito, dei minha cara para bater muitas vezes, atormentei tanta gente, minha vitória era ver os nossos números subir, até que... perdemos nosso principal cliente que representava mais que 50% de nosso faturamento... - por incompetência? Não, ele mudou de região e não podíamos mais atendê-los. - Mas a alta gerência não tem dó nem piedade não é mesmo? Buscamos e encontramos novos clientes, superamos os desafios e conquistamos resultados inesperados. Nossa hora chegou, éramos destaques! Quando recebi aquele troféu acendeu uma luz de emergência – “E agora? Para onde vai minha carreira?”.

Completei meus 30 anos! E mesmo diante do reconhecimento profissional eu queria mais, precisava dar uma guinada na minha vida, uma revigorada, eu tinha conquistado a tão temida (por mim) ZONA DE CONFORTO!

Meu trabalho não me dava mais entusiasmo, não fazia mais meu coração acelerar e ali eu não via mais para onde crescer. Eu queria mais!

SWOT dos 30

FORÇAS

Reconhecida pela empresa, clientes e mercado.
Experiência de trabalho em empresa conhecida mundialmente.
Superação de Resultados.

FRAQUEZAS

Formação e currículo não me dava bom posicionamento.
Cursos realizados eram mais específicos para o segmento que trabalhava.

OPORTUNIDADES

Única profissional na região com expertise no segmento.

AMEAÇAS

Se fosse demitida não estava preparada para o mercado.

Dúvidas

Então foi assim, me vi à 10 anos de completar 40 anos, e como seria? Se eu recebesse uma demissão, como o mercado me receberia? Eu tinha ciência que meu currículo não representava minha experiência, minha expertise. Era formada em turismo e vendia logística, mas a minha especialidade era vendas e gestão comercial.

Havia mais um motivo, e com certeza o principal motivo que não me permitia ficar na zona de conforto. Meu filho, Gabriel, completara 4 anos, aos 2 anos ele foi diagnosticado com paralisia cerebral, prometi que faria o impossível para que ele fizesse as melhores terapias, e isto custava caro, pelo menos para mim naquele momento.

Eu me sentia impotente diante aquela situação, eu precisava dar um rumo na minha vida, eu tinha medo de que as coisas ficassem mais difíceis, tive medo de não ter condições de dar o necessário para o meu filho. Eu julgava que não tinha tempo para uma nova faculdade, cada ano que passasse significaria muito no futuro do Gabriel.

Então, como me tornar mais atraente para o mercado? Que caminho seguir? Quais ações deveria tomar?

Resolvi usar as armas que eu já tinha, resolvi potencializar o que eu tinha de bom.

Respira!

....Preciso fazer uma pausa agora... E sua empresa como chegou até este momento? Você já se perguntou qual é a sua zona de conforto? Você já parou para pensar quais são as suas forças e como se tornar mais atraente? Se você chegou até aqui é porque deve estar se perguntando qual caminho seguir, não é mesmo?!.... Leia até o final que vou te ajudar....

Foi ai que imergi na fase da minha vida que eu chamo de “A Virada!”.

A Virada

Defini usar as estratégias que utilizava nos negócios e que considero essenciais para o sucesso de qualquer projeto. Autoconhecimento, comunicação e liderança. Imergi em treinamentos e cursos que me ensinaram ferramentas extraordinárias para obter melhores resultados, engajar as pessoas em meus projetos, me comunicar de maneira assertiva, além de definir metas claras e objetivas traçando um caminho para chegar exatamente onde queria. E o melhor de tudo, aprendi o COMO e isso fez toda a diferença! Ali houve uma transformação em mim e consequentemente na minha vida!

Está achando que é só mais uma historinha, né!? Então vamos aos resultados. Em menos de 6 meses eu estava em um novo emprego, ganhando 3x mais do que ganhava e no cargo que eu havia definido que iria alcançar. Mágica? Acaso? Claro que não... Estratégia! Ali surgiu novos desafios, me desenvolvi ainda mais, novas conquistas, resultados, conhecimento...

Amor no que faz

Fui fazer aquilo que mais amo fazer, transformar desafios em resultados. Mais uma empresa precisando se reestruturar, crescer no mesmo mercado. Porém o cenário era bem diferente, mas os desafios eram parecidos: pessoas, processos, resultados. Um novo momento, um crescimento extremo em três meses.

Continuei me aprofundando para conhecer ainda mais sobre aquela metodologia, pois aquela meta, aquele cargo, aquele salário, era só parte do caminho. Eu queria aumentar meu networking, aumentar minha área de atuação, queria ser uma profissional nível Brasil.

Após aproximadamente 2 anos, BINGO! Lá estava eu, conquistando um cargo de liderança em uma grande empresa, viajando para todo país, participando ativamente de diferentes negócios, liderando equipes, criando e executando estratégias, planejamento, treinando, guiando, desenvolvendo e aprendendo muito!

Ajudava empresários de pequeno e médio porte a venderem mais. Desafios? Os mesmos: pessoas, processos, treinamentos, com uma pitada a mais, liderar e inspirar pessoas a realizarem uma atividade solicitada por mim sem que eu tivesse autoridade sobre elas. Resultados espetaculares para algumas, para outras nem tanto, e isso me deixava muito intrigada. Foi uma experiência sem igual, atendimento em todo Brasil, clientes de diferentes portes, pessoas de cultura, comunicação, ritmo e costumes diferentes, resultados e ações diferentes.

À beira do abismo

Esta fase exigiu muito sacrifício de mim, da minha família, mas eu sempre repetia a frase: “Eu faço tudo isso pelo meu filho” – mas será? Estava conquistando a carreira que eu queria, mas estava perdendo meu casamento, o crescimento do meu filho, minha saúde, meus momentos de lazer, meus amigos, não estudava mais, e por muitas vezes quase perdi a vida dormindo no volante do carro em minhas viagens.

O momento mais marcante foi quando meu filho com suas dificuldades me pediu chorando para que eu saísse daquela empresa. Ali as fichas caíram... Será que era aquilo mesmo que eu queria? Será que errei ao utilizar todas aquelas ferramentas, ou será que aquele método estava errado?

Mais uma vez um momento de decisão! Redefini onde queria chegar, e mais uma vez imergi nos livros, cursos e treinamentos para descobrir o que faltava, a peça chave. Ai eu entendi que não havia alinhado minhas metas com meus valores: Deus e Família, e por isso, mesmo alcançando minhas metas eu não me sentia feliz, eu nunca estava satisfeita, minhas metas não foram definidas corretamente. ...Mais uma pausa dramática... Será que suas metas, seus objetivos, seja pessoal, seja da sua empresa, estão direcionados para o caminho correto? Ou será que você definiu o caminho e nem sabe exatamente onde quer chegar? Será que estas metas estão congruentes com os seus valores?....

No fim, sucesso!

Avaliei tudo novamente, trouxe clareza de onde eu estava e do meu porquê, percebi que meus desafios se repetiam entre pessoas, processos e treinamentos, e que estes desafios começavam sempre de cima para baixo, ou seja, de líder para liderado. Percebi que os resultados da minha vida profissional acompanham sempre o sucesso da minha vida pessoal, e não o inverso. Foi ai que descobri exatamente onde eu quero chegar, e defini que meu caminho está alinhado aquilo que eu sempre amei fazer: ajudar empresas e profissionais a darem uma guinada radical em seus resultados, potencializando suas habilidades e talentos e definindo a rota certa para o destino que podemos chamar de REALIZAÇÃO. Esta fase da minha vida eu chamo de SUCESSO!!!...